O REGISTRO DE VIAGEM EM CLOUD ATLAS: UM OLHAR SOBRE A ADAPTAÇÃO CINEMATOGRÁFICA

Hermar Augustinho da Cruz

Resumo


Este artigo parte de que o uso da narrativa de registro pessoal, seja por meio da escritura de diários, cartas ou recursos audiovisuais, é uma característica primária da narratologia do gênero Literatura de viagem, e se levantará um estudo comparativo do registro da descrição de viagem na Literatura e no cinema. Para tanto se utilizará o romance Cloud atlas (2004) de David Mitchell, e a sua adaptação cinematográfica Cloud atlas (2012), dos diretores Lilly e Lana Wachowski e Tom Tykwer, para analisar ambas as versões, enquanto habilidade em narrar seis segmentos de viagens no tempo e no espaço e com vozes narrativas retroativas e emuladas como mídias de registros distintos (diário, cartas, gravações, depoimentos, audiovisual), e como isso é apresentado nesses dois formatos de arte, de um ponto de vista comparativo.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.