OS PROCESSOS FORMATIVOS E AUSÊNCIA DE PENSAMENTO CRÍTICO: A BUSCA DE VIDA INTELIGENTE EM OUTROS PLANETAS E O ENCONTRO COM A “VIDA BURRA” EM NOSSO PLANETA*

Rogério Rodrigues

Resumo


O objetivo deste ensaio é apresentar uma análise do filme “Ad Astra (Rumo às Estrelas), dirigido por James Gray. A análise deste  filme se justifica ao colocar em discussão a forma de pensar o campo das relações que se estabelecem entre os sujeitos, principalmente, na obsessão pelas certezas que demarcam a vida inteligente e a vida “burra” no modo de existir como sujeito. Essa proposição da polaridade entre a inteligência e a burrice apresenta-se como forma de olharmos para nós mesmos e nos perguntamos sobre o  modo como vivemos uns com os outros. Portanto, em diversas cenas do filme, coloca-se em evidência o estranhamento no modo como fazemos as coisas para obter resultados em nossas buscas. Em termos de conclusão, fica em aberto a discussão sobre o que seria a construção da vida inteligente, em oposição a nossa “burrice” em existir, que nos tornam completamente intolerantes e sem nexo no modo de viver com a presença do outro.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.